Insentir-te-ei

Pain From Within, de Adam Howie

Pain From Within, de Adam Howie

Eis que neste meu silêncio tão assombroso
Ouço a angústia, que alta, mui ensurdece
É cruel! Retém-me assim refém, refece!
Este teu perverso cerne, quão danoso,

Vem tocar-me a minha carne já exposta,
Pois que vil se faz fingindo insonte ser,
Ó, mas sei que almejas seiva só beber
Inda sendo a minha, rubra, pré-disposta;

Vais, confesses, ris em puro alarde enquanto
Só se basta tal presença, imóvel manto,
P’ra me arder de tal horrendo fel, terror,

Conte as horas quais preservas tua glória
Hei de assaz findar a tua vil mixórdia
Não mais hei sorver de teu soez torpor.

Altum Lyra, PoesiaOanna SeltenComentário