Amar

 Foto de  Will O  em  Unsplash

Foto de Will O em Unsplash

É Amor quando se compreende
Que, em singularidade, somos sós,
Feitos, também, de infindos nós
Abissais e, nem sempre, silentes;

Ama-se quando em sincera calmaria
Preenchemo-nos do conforto íntimo
Ama-se quando adormecer em conflito 
É a mais impossível conquista;

Ama-se quando amar não se precisa
Quando, consciente, salta-se à ruína
Sorrindo à glória do pélago infindo

Ama-se quando a raiz já bem profunda
Encontra o núcleo de todas as curas
Revelando à alma olvidados sentidos.

~

Poema inspirado pela Ciranda Poética de Amor, criada no Facebook pela Poetisa Valéria Gonçalves. Soneto também publicado na Fazia Poesia.

~