Borboleta em Prata

Bege cortina de algodão
Ela pousa, graciosamente,
Reconhecemo-nos urgente,
Elo d'essências por afeição;

Se soubesses que a sou assim
Te aproximarias de meu torso?
Para tocá-lo, ameno e amoroso,
Sem dele fazer teu refletir?

Permanecerias sem o beijo,
Verias das cores que eu vejo,
Pelo uno prazer de me alcançar?

Repudiarias tua entomofobia
Se nas minhas asas, a tua sina,
Fosse a arte etérea de amar?