Felis Catus

 Pierre-Auguste Renoir - Sleeping Cat (1862)

Pierre-Auguste Renoir - Sleeping Cat (1862)

Pequenino e singelo
Envolto em seu corpo
Macio e agradável
Tão sereno rosto;

Ronrona abrigo
Pelugem a mover
Seu infindo sono
Ensina-nos viver;

Úmido nariz
Beija tênue meus dedos
Acorda para o carinho
Retorna ao aconchego;

Não há outro ser
Cá n’esta terra incerta
De mais afável essência
De alma mais esbelta;

Não há outro ser
Cá n’esta terra abissal
De mais ímpar excelência
De elo mais visceral;

Apenas ele, tenro e terso,
Mal sabe ele que inspira
Alguns versos.

~

 
Poesih, IsihlieOanna Selten1 Comment