Manequim

Quais sinos soam na torre mais elevada,
Que à reminiscência faz frágil névoa,
Uma atmosfera cinérea e calada
Resta essência fúnebre no espelho;

Por vezes, acinesia, estado de espera,
Reluz a tua retina e, quem me dera,
Tua indiferença ser una cor etérea
Nesta boca pálida por desejo;

Restos teus como dádiva permuta,
Nenhum perdão, ausente culpa,
Apenas incondicional concessão crua,
Uma peça para o teu manuseio.