Monólogos Conscientes na Hermenêutica da Solidão I

Henry Fuseli - The Shepherd's Dream, from 'Paradise Lost' (1793)

Tenho trabalhado na Filosofia da Consciência Absoluta, no entanto, muitas dúvidas têm emergido em minha mente. Sou incapaz de deixar de lado estas indagações sobre a subjetividade humana. Vendo pelos meus olhos, tudo faz sentido, mas os olhos alheios verão o que são capazes de ver. Aceitar o poder-de-ser característico do vir-a-ser contínuo do ser humano, é abnegar o ceticismo, as crenças, os hábitos, as verdades e os desejos. Estou receptiva à renunciação de tudo isso, pois, meus olhos estão abertos e eles conseguem ver a totalidade de minha vida, em minha vida o meu poder-de-ser fez-se evidente inúmeras vezes. Eu posso ver. Para outrem, no entanto, "ver" está restrito ao tangível e, os seus desejos, quiçá, têm morada apenas no plano do possível. 

As pessoas creem em Deus, pregam milagres, dizem acreditar fielmente que Deus irá salvá-las e ajudá-las, mas, elas não abrem os olhos e não vêm a totalidade maior, isto é, continuam no plano do possível-tangível idealizando o milagre, mas, na verdade, jamais acreditando nele. O que é o milagre de Deus, se não se pode ver o milagre de Deus? "Tudo posso naquele que me fortalece" é uma das frases que as línguas cristãs apreciam pronunciar, fica evidente o tamanho da hipocrisia, ou cegueira voluntária, ou Controlamento Mental Automático, onde "tudo posso naquele que me fortalece", mas, não posso mudar, não posso pensar diferente, não posso questionar, não posso evoluir, não posso descobrir, não posso acreditar. A pregação é de poder, mas, no dia a dia, a suma maioria cristã vive como ratos na sarjeta esperando que pessoas caridosas tenham piedade e lhes deem queijo.

O Controlamento Mental Automático é algo interessante. A diferença entre "mente" e "consciência" é que a mente é feita por hábitos e a eles é leal. Se, ao irmos à padaria um dia e seguimos pelo lado direito; no dia seguinte a mente nos guiará ao lado direito novamente. Automático, pois, na maioria das vezes não questionamos o hábito que se forma em singelos detalhes; depois de um tempo ele se enraíza de tal forma que, pensar em seguir o caminho contrário para ir a padaria pode trazer uma sensação terrífica de insegurança. Consciência é quando questionamos as variáveis, quando pensamos: "Ontem eu fui pela direita, então hoje eu vou pela esquerda"; ou quando vemos as circunstâncias: "Está meio escuro aqui, vou tentar outro caminho". Consciência é ver tudo com amplitude acima da mente; é a intuição do movimento; é temperar a salada com mais azeite e colocar orégano ao invés da salsa, é perguntar a si mesmo "por quê?".

Nem todos que têm olhos, conseguem ver. Nem todos que pregam a crença, de fato creem. O que uma pessoa pede para Deus está em qual nível de seu desejo? As pessoas pedem coisas, mas, muitas vezes sequer acreditam que vão ganhar e, como sei disso? Simples, as palavras! Toda noite o fulano dobra seus joelhos e pede para Deus lhe dar uma casa nova, mas quando esse fulano fica com raiva da casa velha que vive, imediatamente diz "Isso não vai mudar nunca! Não aguento mais!". Se o fulano crê, como OUSA dizer que isso não vai mudar nunca? Não me diga que é força de expressão, as palavras são fruto de nossos sentimentos, vontades, crenças e, principalmente, da nossa consciência. Deus não vai dar a casa nova do fulano enquanto o fulano está preso nos hábitos, afinal, como o fulano conseguirá ver o presente de Deus? Deus não vai fazer uma casa cair do céu, ele trabalha com possibilidades (mais uma vez), oportunidades que virão para que o fulano mude de casa. É de livre arbítrio que o fulano deve ou não aproveitar a oportunidade. Será que o fulano é capaz de ver a oportunidade enquanto está enraivecido e proferindo enlouquecidamente que não consegue, não pode e nada mudará?

Pensei n'uma filosofia que mudaria o mundo, a Filosofia da Consciência Absoluta existe para fazer os olhos enxergarem amplamente, através da consciência e da intuição. É por isso que o foco não é religião ou teísmo, acredite em Deus se isso te apraz, no entanto, cultive consciência, ensine seus olhos a verem e a partir disso pratique a compreensão absoluta. Abnegue os seus hábitos - inclusive aqueles que se dão pelo meio do julgamento e do ego; quando as pessoas julgam ou forçam suas crenças aos outros, estão sendo vítimas do hábito mental e não estão conscientes. Consciência é questionar, consciência é silêncio, consciência compreensão e não interpretação, consciência é olhar e ver.

Diante disso, pergunto-me se minha filosofia vai alcançar o mundo e modificá-lo para melhor; o quanto minhas palavras quebrarão as grades mentais dos hábitos e abrirão fendas de luz consciente nos seres humanos? Crer em Deus não é mais o problema, nunca foi, na verdade; o problema é a falta de consciência. Deus é um conceito, como muitas outras coisas que servem de muleta para as pessoas; a consciência, todavia, não está no plano conceitual, ela é imprescindível para o existir, caso contrário cairíamos na autodestruição, extinguiríamos nossa própria raça através de guerras e destruições... Bem... Parece que estamos seguindo neste triste caminho. Quem será o primeiro a pensar na possibilidade de retraçar os passos?