Ódio

Ele pouco importa-se contigo
Expressa desdém ao teu existir
Sua presença faz-te tanto derruir
Que torna-te, apenas, pascigo;

Inconveniente em sua educação
De vestes que aos olhos fascinam
Insuportável em sua intensa atração
Firme em seus desejos frívolos;

Emerge a mais aflita idealização
N'um corpo como o meu: preciso;
Sob ausência cruel de realização

A espera do teu poder desígnio
No ápice da mais mísera invenção
E do ódio ausente de auto-domínio.