Raros e poucos

Perscrutar um’alma de fascinant’essência
Qu’encontre e’mim e eu n’ela a eternidade
Que veja além da tez em venustidade
E no imo encontre dupla veemência;

Nas palavras viverá toda a graça d’est’elo
Sorriso de lascívia e pranto de gratidão
Uma, mil, quantas ascenderem dedicação
À totalidade que em constância eu zelo;

Se és uma, que assim seja, como anseio
Que deites transcendente e’meu peito
E pulse mui além do coração

Se és tu, em forma e mais em alma
Evidencio-te tod’a minha calma
P’ra ensinar-te a Etérea vinculação.

~
Leia também