Orandi

Trevas excelsas d'est'espírito intrínseco
Ascendam-me à escuridão que me sou
Aquém d'esta terra putrefata qu'estou
No efetivar da toxina d'efeito forínseco;

Esta que no cálice licor fez-se em noir
Vertendo pel'aresta do meu olho direito
No hausto pela garganta que no afeito
Fez-se una via qual eu pudesse andar;

Afetem-me com a caligem e a languidez
Quand'os poros, lépidos, evolam palidez
Assim, à palmos do meu ser, então me inumam,

S'este anseio à quimera decair merencório
Com'o despertar sob o refulgir peremptório
Recorro aos silêncios p'ra qu'estes me destruam.