Torrentes De Nós

John William Waterhouse - La Belle Dame sans Merci (1893)

John William Waterhouse - La Belle Dame sans Merci (1893)

Assim resso’a voz que é profunda
No peito meu a lembrança jaz infinda
Espero teu sorriso em formas nímias
Trazer juízo à essência pura

Que minha, tão somente, mui soturna
Se esparge em caos no imo meu doído
Buscando o raro anil afável visto
Nas íris tão castanhas como as tuas 

Banhando ardente o obscuro verso meu
Os teus carinhos quais elevam breus
Luzirem sós no abismo ser que sou

Desfaz o meu sofrer com teu saber
As dores vis se tornam reles, vês
Uno dono desta flama, amante, amor.

~
Leia também: