Um dia

Ei de ainda alcançar o ápice de mim
Na glória do absoluto saber quem sou
Na graça do pleno ir par'onde vou
Como a beleza d'um eterno frenesim;

E apreender meu querer tal como faz-se
E encantar-me no fascínio de meu ser
Nos umbrais das escolhas desvanecer
Na paz absurda que contínua nasce;

Não decair abrupto às infindas dores
Não respirar as sombras horrores
De angustiante amargo estado

Bem-aventurança semota às opressões
Liberdade d'imergir nas ditas ilusões
Esquecer, da culpa, o significado.