A Escrita pela Escrita

Quero apresentar-te a Escrita qual produzo e que advém d’um envolvimento originário cuja raridade inestimável alcança meu Ser dia após dia. Para isso, criei este recanto virtual. Sempre me é árduo responder à indagação: "O que você escreve?", pois o infindável é o limite em meu horizonte. Tratando-se da Escrita, não há taxionomia possível para mim. Eu escrevo. O que escrevo? Ora, eu escrevo e isso basta. Vago pelas instâncias humanas, pois estou sempre inclinada ao profundo. Quiçá esteja aí a resposta, n'este abismo que tanto me é íntimo. Quando redijo, transfiro o absurdo do Ser, mesmo quando é apenas um romance jovial ou um breve conto. Apesar d'esta essência comum, compreendo que cada criação anseia pelo respeito à si quando é escrita; e eu respeito, de modo que nenhuma de minhas obras podem ser comparáveis. Comprá-las é insultá-las. Até n'um esquema de seguimentos de um mesmo eixo, cada parte é-se individual e única em sua constituição. Tal como o ser humano o é.

Na presença de tais revelações, acredito haver desvelado o quão se faz difícil responder à questão supracitada. O que eu escrevo? Eu Escrevo, é isso. Mais que isso é só ser a Escrita em si e, devo admitir, alcancei este nível. Se ouço: “Quem és?”, respondo: “Eu escrevo!”. Se ouço: “O que escreves?”, respondo: “Eu sou!”. Em vista disso, só conhecerás minha Escrita se me leres para todo o sempre e, ainda assim, terás de prosseguir com este texto, pois no término impossível no para-sempre, sentirás falta d'esta breve apresentação sobre minha Escrita, a qual pretendo sutilizar a profundidade e dar uma luz aos que me olham da superfície.

Atraio-me pela mente, portanto escrevo histórias cujas emoções saltam do papel e alcançam os olhos do leitor e, não só, mas também o corpo e o espírito. Intensidade. Eu escrevo Intensidade. Aprecio o verdadeiro tocante, a realidade em ápices de veemências — estas que, muita vezes, são etéreas.

Quero apresentar-te a Escrita qual produzo e que advém d’um envolvimento originário cuja raridade inestimável alcança meu Ser dia após dia. Para isso, criei este recanto virtual. Em Palavras estão os escritos quais considero valiosos, por isso os partilho e os disponibilizo para leitura. Geralmente são ensaios, reflexões ou resenhas. Em Livros Publicados estão minhas obras completas que em muito se diferem, embora coexistam n’uma incólume essência. Por fim, em Sobre Ser Oanna Selten está um pequeno ensaio autobiográfico; ali pulsa a Escrita pela Escrita, é onde descrevo um pouco de seu significado.

Oanna SeltenComentário