Paixão pela madrugada implacável

Paixão pela madrugada implacável
Amor pela noite impura
Desejos pelo silêncio inexorável
Que alcança a alma, e cura;

Turvam-se os sentidos
Quando deste breu não usufruo
Acabo por renunciar aos instintos
Que em cólera almejam o escuro.

Na luz a treva é dor
No brilho meu olhar sangra
O dia é ódio ao amor,
É água fria à minha chama;


O breu alimenta minha existência
Nas ruínas nocturnas que percorro
E traz poesia e veemência
P’r’alma presa em meu corpo

~

Poesih escrita por mim em meados de 2015
Assinada pelo pseudônimo de Lyublianne

PoesihOanna Selten2 Comments