Inferno Ártico

Une Démoniaque, 1893 by Joseph Middeleer

Une Démoniaque, 1893 by Joseph Middeleer

Meu corpo definha no vazio,
As palavras escrevem-se em revés;
Estou às margens.

O equilíbrio na orla do precipício,
O meu abysmo:
A curva do Y como uma lágrima invisa.

O inferno ártico,
Do absoluto nada 
De meu aflitivo imo.

PoehsiOanna SeltenComentário