Postagens em Poesia
Estulta Virtude

Recosto, sóbria, n’água negra, ser
Ausência à concórdia que era pacto
Na ideia d’um possível, senso intacto,
De ser a digna à fruir prazer;

Se tu por perto estás consigo ouvir
Resquícios, logros, belos puros vítreos
Tranquilos, poucos contam, gosto cítreo
Humilham sãos sentidos só a rir

Dos meus eternos tolos, vãos, delírios
Revelam: “Gáudio só alcança lírios
Que mui venustos fazem mil eflúvios

Os quais ruídos como os desta mente
Tecida às razões indóceis do ente
Fracassa imersa em seu fiel dilúvio
”.

Altum Lyra, PoesiaOanna SeltenComentário