Versos Galaxiais

Galaxy - Zinab Rageh - 2017

Galaxy - Zinab Rageh - 2017

Tua poesia me sorri como um astro
Que n’atmosfera conta o infindável
Aplaude nossa ínfima vida amável
Revela que pode ser luz do passado,

Pois, dizem, nem todo ponto estrelar,
Rutila como aos nossos olhos reluzem,
São ilusões extraordinárias qu’induzem
Qu’este mistério todo há de perdurar,

Mas, é louco, teu verso é-me galaxial
Desfaz toda minha entropia vital
Desnuda-me ao infinito exterior

Logo eu, das mortais a mais mortal
Qu’em silêncio divaga em fractal
Uns esboços estranhos de amor.

SonetosOanna SeltenComentário